Rômulo Ávila

Coluna do Rômulo Ávila

Veja todas as colunas

Quando menos é mais 

25/09/2020 às 07:20

Bruno Haddad/Cruzeiro

A diretoria do Cruzeiro  precisa de muita cautela para não errar a mão ao tentar ‘reforçar’ o elenco para a sequência da Série B. De nada adianta inchar o elenco com jogadores que não acrescentam nada tecnicamente.  

Com os atletas contratados recentemente e que aguardam uma posição da FIFA para serem inscritos,  são quase 40  jogadores de linha. Trabalhar com elenco inchado é um problema para qualquer técnico. Jogador fica fora até treino e começa a criar insatisfação. Um exemplo é o ataque. No futebol , menos pode ser mais.

O setor ofensivo do Cruzeiro é o que mais oferece opções para o técnico Ney Franco. Com o retorno do centroavante Zé Eduardo, que já está em Belo Horizonte, o treinador terá nove jogadores para escolher, mas o número poderá chegar a 12.  

Franco também espera a situação do atacante Iván Angulo, emprestado pelo Palmeiras, e do meia-atacante Matheus Índio, que estava no Estoril, de Portugal. O registro dos dois contratos ainda dependem da suspensão da punição aplicada pela Fifa que impede o Cruzeiro de inscrever atletas. No entanto, os jogadores já treinam na Toca da Raposa II.
O número ainda pode subir, já que Sassá, que teve o contrato de empréstimo rescindido pelo Coritiba, se reapresentou ao clube e pode ser aproveitado. Oficialmente, o Cruzeiro informa que trata com o staff do jogador a rescisão com o Coxa. “Como ele é atleta do clube, está realizando atividades no CT. Uma definição sobre o futuro do jogador será tratada e informada posteriormente”, disse o clube em nota. 

Independentemente do aproveitamento ou não de Sassá, o certo é que o desempenho ofensivo do Cruzeiro precisa melhorar. São 11 gols marcados em dez partidas da Série B. É apenas o oitavo melhor ataque da competição, ao lado de Avaí (próximo rival), e CRB. O líder Cuiabá  e a Ponte Preta, terceira colocada, têm os melhores ataques da competição, com 15 marcados cada. 

Com dois gols cada, o centroavante Marcelo Moreno e o meia-atacante Régis são principais artilheiros da equipe na segundona. 

Centroavantes 

Dos nove atacantes do elenco, cinco são centroavantes: Thiago, Marcelo Moreno, Roberson, Vinícius Popó e agora Zé Eduardo. No entanto, quantidade nem sempre significa qualidade. Na derrota de 3 a 1 para o CSA, na rodada passada, Ney Franco abriu mão de um jogador da posição e escalou Régis mais avançado.  A mudança não durou muito tempo, já que colocou Thiago ainda no primeiro tempo. 

Além dos atletas considerados atacantes natos, o elenco tem jogadores que podem atuar na frente, casos de Marquinhos Gabriel, Maurício e Régis. No caso de Marquinhos Gabriel, por exemplo, Ney Franco já disse que pretende escalá-lo como ponta aberto pela esquerda. 

Veja as opções ofensivas de Ney Franco para o ataque celeste: Airton, Arthur Caíke, Thiago, Marcelo Moreno, Roberson, Stênio, Vinícius Popó e Welinton.

Zé Eduardo – Já está em Belo Horizonte para ser reintegrado ao elenco.

Iván Angulo e Matheus Índio – Aguardam definição sobre a punição da Fifa para serem inscritos e ficarem à disposição de Ney Franco.

Sassá – Treina separadamente no clube e tem futuro indefinido.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    O texto começou a tramitar em junho e foi aprovado nesta sexta-feira na segunda comissão temática, a de Educação e Cultura. #Itatiaia

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Na avaliação dos nomes do PSOL, a fala expressa preconceito com a população LGBTI+ e merece punição por discriminação, sobretudo por ter partido do presidente. #Itatiaia

    Acessar Link